Comportamentos de risco à saúde e a convivência com a SARS-CoV-2

Autores

  • Anierika Santos Universidade de Pernambuco - UPE
  • Alane Tamyres dos Santos Universidade de Pernambuco - UPE
  • Carolina da Franca Bandeira Ferreira dos Santos Universidade de Pernambuco - UPE
  • Mauro Virgilio Gomes de Barros Universidade de Pernambuco - UPE

DOI:

https://doi.org/10.56148/2675-2328reupe.v6n1.1.108.pp44-45

Palavras-chave:

comportamento do Adolescente, Epidemiologia, Comportamentos de riscos à saúde

Resumo

Introdução:Com o advento da pandemia pelo SARS-CoV-2, as normas sanitárias durante a fase aguda da puderam ser interpretadas de maneira errônea pelos adolescentes sob a influência das normas sociais e contextuais que circundam o indivíduo, levando-os a apresentarem atitudes imprudentes e impulsivas de risco para com eles e as pessoas que os cercam. Objetivo: Investigar os comportamentos de adolescentes durante a convivência com a SARS-CoV-2. Percurso Metodológico: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura. A busca de artigos foi realizada através das bases de dados PubMed e Portal de Periódicos da CAPES. além disso, foi realizada uma busca ativa da literatura relacionada às listas de referências dos títulos selecionados para o presente estudo. Resultados: foi observado a ineficiente higiene das mãos, a não utilização da máscara e o não distanciamento social. Estudos também relatam que problemas de saúde mental, ocorrência de violências e comportamentos agressivos no contexto doméstico estejam relacionados com pandemia. Considerações Finais: A percepção dos indivíduos quanto ao distanciamento social, uma medida simples de controle para minimizar os efeitos da pandemia, apresenta disparidades conforme fatores socioeconômicos e características individuais. Dividindo opiniões sobre crer que se trata de uma medida mais indicada para contribuir com o enfrentamento à COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alane Tamyres dos Santos, Universidade de Pernambuco - UPE

Possui Graduação em Odontologia pela Universidade de Pernambuco - FOP/UPE (2016). Especialista em Saúde da Família pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2019). Mestranda em Hebiatria (2019-2021). Especializanda em Odontopediatria - CPO/PE (2019-2021). Tem experiência na área de Odontologia, com ênfase em odontopediatria e hebiatria e em Saúde da Família/ Saúde Pública.

Carolina da Franca Bandeira Ferreira dos Santos , Universidade de Pernambuco - UPE

Professora adjunta da Universidade de Pernambuco (2013/atual). Atuo no Programa de Pós Graduação em Hebiatria como coordenadora (2020/atual) e, na graduação na área de Odontopediatria e Clínica Infantil I e II. Possuo doutorado em Odontologia (Odontopediatria) pela Universidade de Pernambuco (2010), mestrado em Hebiatria pela Universidade de Pernambuco (2006) e graduação em Odontologia pela Universidade de Pernambuco (2004). Fui bolsista do Programa Nacional de Pós Doutorado - Capes/FACEPE (2011-2013) e fiz pós-doutorado (2018-2019) na Harvard School of Public Health (Harvard T.H. Chan School of Public Health). Atualmente desenvolvo pesquisa sobre comportamentos de risco à saúde do adolescente.

Mauro Virgilio Gomes de Barros, Universidade de Pernambuco - UPE

Graduado em Educação Física pela Universidade de Pernambuco (1991), tem mestrado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999) e doutorado em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Realizou estágio pós-doutoral em 2011 no PPGEF/UFSC e no período de 2011/2012 na Universidade do Sul da Dinamarca. É professor associado da Universidade de Pernambuco onde atua no ensino de graduação (Educação Física) e de pós-graduação em Educação Física e em Hebiatria, lecionando atualmente as seguintes disciplinas: Intervenções da Educação Física na Saúde, Metodologia da Pesquisa em Educação Física, Seminários de Trabalhos de Conclusão de Curso, Epidemiologia e Gestão de Atividades de Pesquisa. Lidera o Grupo de Pesquisa em Estilos de Vida e Saúde desde a fundação em 2004 e é pesquisador externo/colaborador de outros grupos de pesquisa no país e no exterior. Foi vice-presidente (2010-2011) e presidente (2016-2017) da Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde e atuou como Editor-chefe da Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde nos anos de 2012 e 2013. Atuou como Coordenador do Programa Associado de Pós-graduação em Educação Física UPE/UFPB nos períodos de 2007-2010 e de 2014-2018. Atuou, no período de 2014-2017, como membro efetivo da Câmara de Assessoramento e Avaliação em Ciências da Saúde da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE). Em novembro de 20190 teve o seu nome aprovado para mais um mandato na referida Câmara Técnica da FACEPE. Sua principal linha de investigação é a epidemiologia de comportamentos relacionados à saúde. Nos últimos anos participou de diversos projetos integrados de pesquisa na condição de coordenador ou investigador principal. Destaca-se ainda a sua atuação como consultor do Serviço Social da Indústria onde coordenou a implantação do Programa Lazer Ativo, o desenvolvimento de estudos específicos para o setor e o desenvolvimento de sistemas de monitoramento/avaliação em estilo de vida e saúde com foco no trabalhador da indústria. Desde 2014 passou também a integrar, como colaborador, o corpo docente da Academia Brasileira de Treinadores do Comitê Olímpico do Brasil.

Downloads

Publicado

22.04.2021

Como Citar

Santos, A., Santos, A. . ., da Franca, C. ., & Gomes de Barros, M. V. . (2021). Comportamentos de risco à saúde e a convivência com a SARS-CoV-2. Revista De Extensão Da UPE, 6(1.1), 44–45. https://doi.org/10.56148/2675-2328reupe.v6n1.1.108.pp44-45